Lançamentos para 2017

No começo dessa semana, o G1 publicou no canal AUTOESPORTE alguns dos lançamentos esperados para 2017, aqui. Se você gosta de motos, independentemente do seu estilo, vai querer ler a matéria. Mas aproveito aqui para destacar algumas máquinas interessantes e que muito provavelmente ficarei de olho. Aliás, muito provavelmente esses lançamentos ocorrerão durante, ou pouco antes, do Salão Duas Rodas. O evento já tem data marcada e acontecerá de 14 à 19 de novembro de 2017.

DUCATI MONSTER 797

Gosto demais das Monsters, sempre gostei! Com a chegada da Monster 821, nervosa, tecnológica e cara, a Ducati ficou sem nenhuma opção para “entrada”. Não acredito que irão conseguir uma incrível melhora nos valores… vamos aguardar. Ela usará mesmo motor da Scrambler 800.

2-01_monster_797

Falei da Monster 796 aqui.

H-D ROADSTER 1200

Já falei dela diversas vezes. Aliás, o modelo já está à venda… recebi até e-mail com valores e taxas. Veja aqui.

17-hd-roadster-2-large

INDIAN DARK HORSE

Literalmente… cavalo preto bravo! É uma Chief (aqui), mas com visual agressivo e “sombrio” (gostei dessa descrição). Isso inclui, banco solo, pintura preta fosca, além do motor V2 de 111 ci. e 15,9 kgfm de torque. Lembra muito a Scout.

indiandarkhorse_3

INDIAN SCOUT

E por falar nela, teremos a primeira reestilização da Scout em 2017. Espero apenas correção, ajustes e novas cores, já que ela é recém chegada ao Brasil. As vendas se iniciaram em outubro de 2015.

Gosta da Indian Scout? Recomendo os posts: aqui e aqui.

ROYAL ENFIELD

Britânica no início (1891) e desde 1990 pertencente à indiana Eicher Motors, a extremamente popular na Índia, Royal Enfield, é considerada a fábrica de motocicletas mais antiga do mundo. Talvez por falta de sorte, mas desde 2015 a Royal Enfield tentar aparecer no Brasil, quando o antigo representante encerrou suas operações comerciais. Agora a marca trará três modelos importados ao Brasil: Classic, Bullet e Continental GT.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Veja a habilidade do indiano aí no vídeo!

TRIUMPH BOBBER

Falei dela aqui. É uma fantástica bobber, dotada de um câmbio de seis marchas e do famoso motor de 1.200 cm³ com dois cilindros HT, ou seja, High-Torque = “torcudo”. Essa, eu gostaria de ver parada no farol do meu lado!

img111888-1476968624-v580x435

Anúncios

Indian Scout 101

Outro dia, procurando alguma coisa na televisão para assistir, peguei um pedaço de um filme que gosto bastante: “O curioso caso de Benjamin Button”. É um filme bem legal, baseado no conto de 1921 e que teve 13 indicações ao Oscar. Os atores principais são Brad Pitt e Cate Blanchett, ambos com grandes interpretações.

Em um certo momento do filme, o personagem Benjamin descobre no celeiro da casa de seu pai um belo exemplar de uma Indian. Com um vermelho tradicional Indian, se trata de uma Scout 101. Alguns dizem que foi a melhor Indian já produzida.

Indian-101-Scout-750-2As Scout foram produzidas de 1920 à 1948, mas só em 1928 que as Scout 101 foram introduzidas na linha de montagem. A Scout 101 tinha um quadro redesenhado, mais leve, maior distância entre-eixos, altura do banco mais baixa e maior curso do garfo dianteiro. Isso trouxe melhor dirigibilidade às Scouts e rapidamente trouxe popularidade ao modelo. Dois motores equipavam as Scout 101, os de 45 ci (737 cm³) e os raros 37 ci (606 cm³) vindos do modelo original Scout.

Aqui no Brasil a Indian já investe em 5 bonitos modelos, sendo um deles a própria remodelada Scout. No salão das duas rodas do ano passado eu pude ver as três cores da Scout, inclusive o tradicional vermelho, que fica mais bonito com o banco caramelo. O Dan Morel, como sempre, trouxe alguns detalhes sobre as novas cores da linha 2017 da Scout aqui. São duas combinações, azul com branca, e uma maravilhosa vermelha com preto.

scout-burgundy-5
(Indian Scout 2017)

O Wolfmann fez um comentário interessante sobre as Indians nesse post aqui: “Felipe Carlier e sua equipe Indian Rio vem mostrando como deve ser a postura para entrar em um mercado tomado pela imobilidade, onde o consumidor balança entre H-D (apoiada no life style) e BMW (apoiada na tecnologia) sem pensar muito no produto e sim no status da marca.”.

Estou contente com minha H-D, pela robustez e qualidade de acabamento. Ela tem seus defeitos, mas isso não chega a me incomodar à ponto de mandar tudo para o vinagre. Aliás, se eu pudesse, uma Fat Boy Special e uma Forty-Eight fariam cia para a Eva na garagem. Mas se um dia meu contentamento mudar, acredito que a Indian Scout e a Triumph Street Twin são fortes candidatas para essa substituição.