It’s friday

Seguindo na vibe britânica da Triumph (aqui), o que acha de um rolê com a Street Twin por algumas estradas da França?!

Anúncios

Chegaram no Brasil! [UPDATE]

Não comentei nada até agora sobre o preço das Vespas aqui no Brasil, justamente porque não estou querendo acreditar. Eu falei aqui que as Vespas foram justamente criadas com a intenção de ser um veículo barato e agora a mais barata, Primavera 125 cm³, custa R$ 22.890,00.

vespa_03_10102016_1033_960_720-1
Primavera 150 (série histórica) ::: R$ 27.930,00

E ainda tem a GTS 300 por R$ 32.930,00 e a Sprint 150 por R$ 26.930,00. Já vejo até as chamadas publicitárias com a incrível palavra “oportunidade”. Para você ter uma ideia, até o terceiro trimestre a H-D vendeu 717 unidade de 883 Iron em 2016, veja aqui os dados completos. Logo, facilmente vamos encontrar unidade zero quilômetros da série histórica em 2018!

Geladas – Faxe Premium

faxe_premium

Durante o século IX, se você avistasse um Drakkar (barco viking) se aproximando muito provavelmente iria de encontro ao seu Deus antes do planejado. Isso porque os vikings eram assustadores, se aproximavam rápido e devastavam regiões, tomados por um frenesi insano (berserkir). Na verdade, vikings, é o nome dado aos nórdicos, hoje compreendidos pela Escandinávia: Noruega, Suécia, Islândia, Finlândia e Dinamarca.

Justamente essa brutalidade e personalidade guerreira não permitiram a dominação do Império Romano, não sendo sucumbidos ao vinho. Então, aquela imagem de uma festa viking, com guerreiros sentados à mesa farta, tomando cerveja em cifres, é real. A cerveja era consumida nas comemorações e cultos vikings, não era sagrada, mas certamente consumida até a embriaguez. Existiam até homenagens ao Deus Odin (o Deus dos Deuses) e a Thor (filho de Odin, protetor dos vikings), aonde apenas aqueles que tomavam grandes quantidades de cerveja poderiam participar. A maior honra para um viking era ser aceito no palácio de Odin, para beber cerveja a vontade.

Fiz uma introdução histórica para falar da Faxe Premium, uma lager de respeito, dinamarquesa, feita com água dos fiordes e servida justamente em uma lata de 1L. Muito mais fácil entender o motivo do volume da lata, não é mesmo? E para comemorar o 115º aniversário a lata ficou mais bonita com gravuras vikings. Não deixe de experimentar essa suave e refrescante cerveja, com ótimo drinkability.

medium_faxe_115anniversary_1000ml_canCerveja: Faxe Premium

Transparência: Cristalina

Cor: Dourada

Espuma: Branca de média formação e persistência

Aroma: Malte e cereais

Sabor: Segue aroma

Copo: Lager ou Caneca, para entrar no espírito viking

img_1397

E apesar do que todos pensam, os vikings não tinham chifres em seus elmos. Essa crença celta dizia que os chifres protegiam do céu, que poderia lhes cair nas cabeças. Mas isso nunca foi verdade.

Thug style

Enviadas pelo meu correspondente europeu Rodrigo Meninu, essa bandida aí me enganou na identificação do modelo. Mas, consegui!!

É uma Nightster, mas nem consigo listar os itens customizados… praticamente só peguei pelas rodas raiadas e pintura do motor, cinza mais escuro que a 883 STD. De resto, tudo foi customizado: filtro de ar, escapamento, para-lamas traseiro, banco sela, tanque (grafismo e tank lift), amortecedores, guidão, suporte da placa… fora o que não conseguimos ver nas fotos. Gostei muito dessa britânica aí!!

Aliás, lembre-se da Nightster aqui.

Born to be wild!

Esse não é só o refrão de uma música, é praticamente um jargão para quem tem uma H-D! E porque estou falando isso? Porque no Marcio Vital (BH Riders) fotografou um rolê com os amigos e uma moto em especial me chamou atenção… justamente aquela que possui essa frase na capa da correira.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Ele já havia fotografado apenas ela em uma outra ocasião, veja aqui, mas reparem que alguma coisa mudou. Sim, exatamente… pneus Firestone Champion Deluxe! Falei deles aqui.

Essa bandida aí está rebaixada com amortecedores PS na traseira e a frente mexida. Não existe mais para-lamas, como uma bobber deve ser, e as bengalas dianteiras estão cobertas por uma capa. Simplesmente fantástica, mas se fosse minha eu já teria arrancado a capa da correia, aqui.

Diário da Eva – Parceria

Nesse mês de outubro, a Eva e eu completamos um ano de parceria. Durante esse período aprendi muito coisa sobre ela: manutenção, customização, história e até mesmo condução. Muitos desses assuntos eu posto aqui, algumas vezes apenas como relato… outras vezes como tutorial. Alguns deles são muito acessados e espero que tenha ajudado de alguma forma, seja pela especificação do óleo (aqui e aqui), pelas customizações (aqui e aqui) ou pelas manutenções (aqui e aqui).

De qualquer maneira é muito bom poder contar com ela no meu trajeto para casa… uma espécie de terapia!

Nota:

– A 883 R em segundo plano é de um colega de trabalho. Outro apaixonado por H-D!!